Plano de Trabalho

Nosso principal objetivo é fortalecer o Conselho para a relevância da arquitetura e urbanismo e valorização do profissional.
Temos como propostas:

  • Promover ações junto à sociedade esclarecendo sobre a importância do arquiteto e urbanista, como profissional habilitado para elaborar projetos arquitetônicos e de urbanismo;
  •  Apresentar soluções no contexto atual da arquitetura e urbanismo (de grandes transformações sócio-econômicas) dando apoio ao profissional, criando programas de treinamentos e oficinas que promovam qualificação e empreendedorismo;
  • Criar um programa que auxilie o profissional na sua atuação junto às Prefeituras, otimizando o processo de aprovação de seus projetos;
  • Criar o canal PARTICIPE permitindo ao profissional fazer sugestões e opinar sobre a profissão, buscando aproximação com o Conselho;
  • Atuar junto às IES – Instituições de Ensino Superior – esclarecendo sobre o momento da profissão, orientando o estudante em relação às suas atribuições e possíveis áreas de atuação profissional;
  • Atuar em todo o estado de Minas Gerais realizando ações que integrem todas as regiões, valorizando a presença do CAU nos municípios e buscando representantes locais para melhor identificação das demandas regionais;
  • Otimizar procedimentos internos do Conselho para melhor atendimento ao profissional e à sociedade, assim como qualificar a equipe, modernizando e desburocratizando as ações;
  • Priorizar a contratação através de concurso, incentivando a livre participação de profissionais de diversas áreas da sociedade;
  • Instituir o Departamento de Recursos Humanos, priorizando o Plano de Cargo e Salários para a valorização do funcionário, que representa todo o serviço e atendimento realizado no Conselho, promovendo o conhecimento em cada Setor e a capacitação de fiscais junto a outros CAUs/UF e CAU/BR;
  • Realizar a fiscalização inteligente e eficiente, pontuada na legalidade e conformidade com a justiça e igualdade para todos;
  • Criar uma Ouvidoria presente que ouça a sociedade e os profissionais, buscando soluções imediatas para mediar conflitos;
  • Destacar que a gestão é não partidária, atuando com transparência, sem praticar nenhum tipo de interesse e protecionismo;
  • Criar o CAU JOVEM, com núcleo de apoio ao recém-formado para instruções, treinamento e novidades sobre a sua profissão;
  • Criar vídeo-conferência para as Plenárias para maior integração dos Conselheiros e participação dos profissionais;
  • Construir um programa de controle dos RRTs para mapeamento, estudos, estatística e classificação compondo a realidade da atuação profissional no Estado, através da base IGEO do Conselho;
  • Promover eventos para maior visibilidade da arquitetura e urbanismo no Estado, através de planejamento inteligente para alcançar a sociedade, os profissionais e as instituições;
  • Ampliar a Arquitetura e Urbanismo no campo científico, promovendo a sustentabilidade às cidades;
  • Estimular a criação de escritórios “coworking” acelerando o empreendedorismo, compartilhando conhecimento para alavancar projetos e processos;
  • Promover conhecimento e entendimento da Tabela de Honorários de forma prática e simplificada, auxiliando o profissional na contratação justa, eficaz e satisfatória de seus serviços;
  • Promover ações para participação popular no desenvolvimento das cidades;
  • Criar os GTs, Grupos de Trabalho, com conselheiros, funcionários e convidados, abordando temas substanciais para o fortalecimento da Arquitetura e Urbanismo no Estado;
  • Promover ações, projetos e eventos em parceria com instituições que minimizem a degradação ambiental, valorizando a sustentabilidade e o cuidado com o meio ambiente;
  • Equipar os escritórios descentralizados existentes no Estado, com infra estrutura adequada, proporcionando condições para atuação dos fiscais e assim obter os resultados planejados nas ações de fiscallização;
  • Divulgar a legislação urbanística nas IES e agir para que as mesmas incluam na Grade Curricular as Leis que regem o trabalho do arquiteto e urbanista em suas cidades, assim como os procedimentos das Prefeituras no exercício da aprovação de projetos, garantindo assim que o novo profissional tenha condições de competir no mercado de trabalho;
  • Estabelecer anuidade integrada do Conselho para Profissional/Empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *